SÍMBOLOS DA REPÚBLICA - O GALO GALO: sua história, seu simbolismo e suas representações

Le Galo galego é um dos símbolos alegóricos e emblemas da França.

Durante oAntiguidadeo galo, ao qual ele é emprestado qualidades de bravura, virilidade e vigilância, é um atributo de vários deuses romanos (Júpiter, Marte, Apolo ou Mercúrio). 

A expressão “galo gaulês” remonta aos poetas romanos na origem de um trocadilho baseado na homofonia entre “gallus the galo” e “gallus the gaul” que vive na Gallia, na Gália ... Ao repetir este jogo de palavra, Júlio César lhe dará uma certa notoriedade.Esta associação desaparece na primeira parte Idade Média, o galo então sendo assimilado à luxúria, raiva, estupidez ou seu lado belicoso. Na segunda parte da Idade Média, muitos textos polêmicos vindos de inimigos da França adotam esse trocadilho de forma pejorativa. Os franceses e seu líder são considerados "tão orgulhosos quanto o animal da fazenda". O galo gaulês freqüentemente se opõe à águia de seus inimigos, o rei dos céus.

No XVIe século Henri IV institutos e democratiza o frango ao pote, que se torna "prato nacional francês". Durante o Renascimento, o uso político do galo gaulês como emblema étnico ou geográfico é obra de estudiosos da Renascença pensando erroneamente que o galo é o emblema francês mais antigo, o emblema da Gália antes da conquista romana.

Sob o reinado de Valois e Bourbons, o galo, no entanto, começa a simbolizar o rei da França e seu reino.

É durante o Revolução Francesa que o galo vai recuperar popularidade. A lei de 9 de abril de 1791 estipula "que um galo, símbolo de vigilância" deve figurar no verso das moedas de ouro, coroas e meias coroas.assar

É repetido no selo do Primeiro Cônsul e a alegoria da fraternidade muitas vezes traz um bastão encimado por um galo.

Durante o Monarquia de julho, o galo é introduzido em substituição do lírio dinástico.

Napoleão Bonaparte vai substituir o galo pela águia, porque segundo o imperador: “O galo não tem força, não pode ser a imagem de um império como a França”.