AMADOU SECK: poeta das máscaras

Amadou Seck nasceu em Janeiro 1950 em Dakar numa família de jardineiros wolofs estabelecidos por gerações na península de Cabo Verde.

Desde tenra idade, ele começou a desenhar retratos estilizados nas paredes das casas, que ele chama de "retratos distorcidos" É uma forma de arte de rua que pratica desde 1955!
Aos 15 anos, a conselho do pintor Ousmane Faye, apresentou-se e foi admitido na Escola Nacional de Artes de Dakar, criada pelo Presidente Léopold Senghor e dirigida por Pierre Lods e Iba Ndiaye. Lá, aprendeu técnicas acadêmicas, desenvolveu seu próprio estilo e deu rédea solta à sua imaginação criativa.
« Arte, eu tinha isso em mim no ventre da minha mãe Ele confidencia.
Na herança africana, ele pede emprestado marcos, temas, estilos ou formas, ao mesmo tempo que se recusa a se atolar nas convenções ou referências estéticas "negras" caras a Senghor.
As suas primeiras obras foram saudadas por profissionais, expostas no Festival des Arts Nocturnes de Dakar em 1966, na Exposição Internacional de Montreal em 1967, na Galerie La Tortue em Paris, no Salon des Peintres Normands, no Museu de Rouen ou no Bienal de Paris em 1970.
Durante as suas exposições no Museu Dinâmico de Dakar em 1972 e 1974, ele é fortemente encorajado por Picasso et Soulages aprofundar sua pesquisa artística e mostrar seu trabalho fora do Senegal. 

Continua, próxima página: clique em "2" abaixo

Deixe um comentário